MARCOS NA HISTóRIA DO BNU

 

Fevereiro 2010

Lançamento dos serviços em Renminbi

 

Outubro 2009

Lançamento do cartão de débito BNU CUP 

Novembro 2008

Lançamento do cartão AMEX

Junho 2008

Lançamento do cartão BNU pré-pago   

Abril 2007

Lançamento do Business Online Banking

Julho 2001

Por fusão do Banco Nacional Ultramarino (BNU) e a Caixa Geral de Depósitos (CGD) por incorporação do BNU na CGD, a Sucursal do Banco Nacional Ultramarino transformou-se, em 1 de Julho de 2001, numa entidade subsidiária de direito local e detida integralmente pela Caixa Geral de Depósitos.

Março 2001

Anúncio, em 28 de Março de 2001, da fusão entre o Banco Nacional Ultramarino e a Caixa Geral de Depósitos por incorporação do primeiro na Caixa Geral de Depósitos.
No seguimento do anunciado plano de fusão, a Sucursal do Banco Nacional Ultramarino foi transformada num banco de direito da RAEM, mantendo a designação de Banco Nacional Ultramarino S.A., entidade subsidiária e integralmente detida pela Caixa Geral de Depósitos.
O Banco Nacional Ultramarino manteve a sua função de Banco Emissor e de Caixa do Tesouro e Finanças da RAE.

2000

Em Abril foi assinado o acordo com as entidades do Governo da Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China para a continuidade do Banco Nacional Ultramarino como Agente do Tesouro e Finanças da RAE.

1995

Confirmação do Banco como entidade bancária emissora de moeda, no mínimo, até 2010.
 

1988 – 2001

Integrando o Grupo Caixa Geral de Depósitos, o Banco Nacional Ultramarino focaliza a sua actividade comercial e bancária no apoio e desenvolvimento ao sector das pequenas e médias empresas e na diversificação de outras áreas de negócio e de actividade.
Durante este período, o Banco alargou a sua actividade com abertura de sucursais em Londres (1991), na ZEE da RPC (1993) e em Dili, Timor-Leste (1999).
Abertura de um escritório de representação em Bombaim (Índia) com extensão a Goa.
 

1988

Em 5 de Julho de 1988, a Caixa Geral de Depósito adquiriu a maioria do capital do Banco Nacional Ultramarino, tornando-se a República Portuguesa o seu único accionista.

1974

Nacionalização do Banco Nacional Ultramarino.
 

1950 – 1974

O BNU inicia o seu processo de internacionalização estendendo a sua actividade às principais praças financeiras e nos finais dos anos 60 detinha a maior rede de Balcões em Portugal.
Inauguração do Bank of Lisbon and South Africa, banco estabelecido na África do Sul. Nos anos 70, o BNU toma uma participação no Banque Interatlantique, banco de direito Luxemburguês e abre, em Londres, um escritório de representação.

1864 – 1930

O BNU expande a sua actividade em Portugal, alarga-se aos territórios ultramarinos portugueses e países estrangeiros.
Torna-se o Banco Emissor para as províncias ultramarinas com abertrua de sucursais em Angola e Cabo Verde (1865), seguindo-se S. Tomé, Goa e Moçambique (1868), Macau e Guiné-Bissau (1902) e Timor (1912).
Filiais do Banco foram estabelecidas em 1929 com abertura em Londres do Anglo Portuguese Colonial and Overseas Bank Ltd e, em Paris, do Banque Franco Portugaise d’Outre-Mer.
Abertura dos escritórios de representação em Kinshasa (1919) e em Bombaim (1920).
 

1864

Inauguração do Banco Nacional Ultramarino, em Lisboa, com o principal objectivo de ser o Banco Emissor para os territórios ultramarinos portugueses e contribuir para o seu desenvolvimento e crescimento económico.